A Mitologia Egípcia, part. 9 e 10 – Neteru Primordiais ( Ka e ba )

Ka

Entre os antigos Egípcios, o ka designava uma espécie de alma que acreditavam que existia, tanto nos homens, como nos deuses.

O conceito em si é difícil de trasladar hoje para qualquer outra língua viva através de uma só palavra. Em português, o termo que melhor o poderá traduzir será talvez o de alma, ressalvando no entanto as devidas distâncias entre a concepção cristã da alma, e a concepção egípcia do ka.

O ka pode então ser definido como um princípio ou elemento metafísico, imaterial, invisível, volátil e, de certa forma, metafórico, que permitia assegurar a sobrevivência dos homens neste mundo, e lhes conferia a vida eterna no outro.

Não deve ser confundido com outro princípio ou elemento metafísico egípcio, o ba.

Ba

Entre os antigos egípcios, o ba designava um princípio/elemento metafísico, imaterial, invisível e volátil que conferia ao morto, na vida de além-túmulo, a capacidade de movimento. Era metaforicamente representado por uma ave pernalta.

Não deve ser confundido com outro princípio/elemento metafísico egípcio, o ka.

Anúncios